top of page
  • Foto do escritorAlvoCom Tecnologia e Comunicações

Região tem 12 locais para acesso a produtos à base de canabidiol pelo SUS; veja lista



A região terá 12 pontos de solicitação e retirada gratuita de produtos à base de canabidiol pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A informação foi divulgada nessa quinta-feira (27) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).


Na cidade de Cotia, o produto estará disponível naPoliclínica do Portão(veja lista completa mais abaixo). A disponibilização começa nesta semana, em todo o estado.


Os itens serão destinados a pacientes diagnosticados com as síndromes de Dravet e de Lennox-Gastaut, e complexo da esclerose tuberosa.


Para ter acesso ao produto, o paciente deve comparecer às Farmácias de Medicamentos Especializados (FME) do estado com o formulário de indicação preenchido pelo médico. Veja onde solicitar na região:


  • Barueri (av. 26 de março, nº 873, Jd. São Pedro) - (11) 4199-4983

  • Carapicuíba (Alameda dos Lírios, 150, Vila Sulamericana) - (11) 4182-2014

  • Cotia (Rua Vasco Massafeli, 250, Jardim Rosalina) - (11) 4148-4955

  • Embu das Artes (Rua Siqueira Campos, 22, centro) - (11) 4781-2425

  • Ibiúna (Avenida São Sebastião, 369, centro) - (15) 3241-3078

  • Itapecerica da Serra (Av. XV de Novembro, nº 926, centro) - (11) 4667-1562

  • Itapevi (Rua Isola Belli Leonardi, nº 08, Jd Christianópolis) - 11 4143-8499 (RAMAL 8453)

  • Jandira (Rua João Balhestero, s/ nº, centro) - (11) 4707-3467

  • Osasco (Av. Getulio Vargas, nº 889 - Policlinica Dona Leonil Crê Bortolosso, Jd. Piratininga) - (11) 2183-8600 (RAMAL 125)

  • Santana de Parnaíba (Ame Parnaíba - Rua Edgar de Moraes, nº 765, Jardim Dfrediani) - (11) 4622-7125 / 4622- 7100

  • Taboão da Serra (Rua Pedra Cavalheiro da Silva, nº 205, Jd. Das Oliveiras)

  • Vargem Grande Paulista (Rua Nazaré, nº 109, térreo, Jd. Bela Vista) - (11) 4158-3170 (RAMAL 219)


EXAMES


Segundo a Secretaria de Saúde, também deverão ser apresentados exames como eletroencefalograma, hemograma, creatinina e eletrólitos (cálcio, sódio, potássio e magnésio), bem como de transaminases glutâmico oxalacética (TGO) e pirúvica (TGP).


Para pacientes com complexo da esclerose tuberosa, serão requeridos exames de imagem, como tomografia computadorizada de crânio ou ressonância magnética do encéfalo, todos acompanhados de laudo médico. Após os documentos chegarem à farmácia, eles serão enviados para análise da SES. Além disso, haverá um grupo de acompanhamento definido pela pasta.



Como solicitar?


É preciso entrar no site https://www.saude.sp.gov.br , utilizar a função de busca e procurar por “Canabidiol”. Em seguida, clique em “Medicamentos”, role a página para baixo e clique em “Produto de Canabidiol Para Fins Medicinais”. Lá, você encontrará os formulários para o médico e o paciente, que, após estarem preenchidos, deverão ser entregues na Farmácia de Medicamento Especializado (FME) mais próxima.


Requisitos


Os pacientes também precisam preencher alguns requisitos dispostos na resolução publicada no dia 7 de maio de 2024, são eles:


Diagnóstico de epilepsias farmacorresistentes Síndrome de Dravet, síndrome de Lennox-Gastaut e complexo da esclerose tuberosa, contempladas pelos CID-10: G40.4, e Q85.1;


Refratariedade ao tratamento proposto no Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) da Epilepsia;


Persistência de quatro crises epilépticas ou mais ao mês, apesar de utilização, em posologia adequada, de duas ou mais medicações propostas pelo PCDT (de maneira concomitante ou não), para alcançar o controle sustentado das crises, durante pelo menos três meses.


O canabidiol é contraindicado para dependentes químicos, grávidas, lactantes, crianças menores de 2 anos e pessoas com hipersensibilidade à algum componente da fórmula.



Em quais doenças o uso do canabidiol é indicado?


Síndrome de Dravet: é forma de epilepsia grave, caracterizada por crises febris do tipo clônica, generalizadas ou unilaterais, geralmente prolongadas durante o primeiro ano de vida, estado de mal epiléptico, crises de ausência e crises de espasmos entre 1 e 4 anos de vida. A partir do início das convulsões, ocorre atraso do desenvolvimento neuropsicomotor com deficiência.


0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page